Ensinando novos truques a um cão velho!

O que dizem sobre não ser possível ensinar a um cachorro velho, novos truques é falso. Cães mais velhos não podem aprender tão rapidamente como o fizeram quando eram jovens, mas com tempo e paciência, a maioria deles pode ser ensinada a fazer qualquer coisa que um cão jovem pode. Talvez o velho ditado sobre a idade e o aprendizado devesse ser interpretado menos literalmente. É certamente verdade que a personalidade do cão não muda muito depois da infância. Cães ansiosos ou com medo tendem a permanecer assim. É difícil convencê-los de outra forma. E você não pode transformar um cão dominante em super submisso.

O que você pode fazer é ensinar os cães a se comportar em uma situação especial, como manter a calma em uma situação ameaçadora. Se a personalidade de um cão é um pedaço de madeira, a aprendizagem é um verniz sobreposto em cima dele. É a madeira mutável? Não! O verniz pode ser mudado? Pode apostar que sim – e em qualquer idade.

Ensinando comando verbal

Ensinar a resposta correta para as palavras ou sinais de mão é fundamental para se comunicar com um cão. Consistência é a chave.

Em primeiro lugar, recompensar o cão pela realização de um comportamento desejado quando esse comportamento ocorre naturalmente. Por exemplo, dar a seu cão um alimento para ficar sentado, deitado ou parar de latir. Inicialmente, a recompensa deve ser selecionada para ser praticamente irresistível, e não apenas croquete ou um pedaço de biscoito de cachorro seco. A frequência de sua realização do comportamento vai aumentar se a recompensa é apreciada.

Em seguida, acrescentar uma palavra ou sinal que deve preceder o comportamento que é para ser recompensado. Isso é chamado de estímulo condicional, e deve estar presente se uma recompensa para a realização do comportamento está próxima. A palavra ou gesto deverá ser dita uma única vez. Se o cão é um pouco surdo, fale mais alto. Faça o que fizer, não repita o comando. Se o cão obedece, ele deve ser recompensado imediatamente. Se não, não há recompensa. O oposto da recompensa não é castigo, é não oferecer nenhuma recompensa.

Usando o método acima, qualquer comportamento, mesmo fechar as portas do armário ou buscar o jornal pode ser treinado – embora os comportamentos mais complicados devam ser formados em estágios. Um clicker pode ser usado para ajudar a melhorar o tempo de recompensa. (Veja em outro artigo “treinando seu cão com cliker”) as técnicas baseadas em castigo são inaceitáveis, especialmente para cães mais velhos.

Mesmo cães idosos irão aprender muito rapidamente utilizando as técnicas acima. Respostas obedientes aos comandos, além de intrinsecamente valiosas como um meio de aumentar a compreensão mútua entre dono e cão, também podem ser utilizadas para ajudar a resolver problemas de comportamento. Por exemplo, os cães que estão latindo muito, e na hora errada, podem ser treinados para ficar em silêncio na hora. Cães que sujam a casa podem ser recompensados por ir ao local desejado do lado de fora. Cães com ansiedade de separação podem ser treinados para passar o tempo, a uma distância de seus proprietários (formação de independência).

No lado mais lúdico, os truques, como “Bang” (Você está morto!) e os rolos de cão em suas costas podem ser ensinadas, mesmo para os mais velhos. O próprio ato de passar o tempo com o cão, mais o sentimento de realização e de comunicação vale bem à pena!

O esforço melhora a qualidade de vida do proprietário e do animal de estimação. Se você se certificar de que seu cão está sempre aprendendo, sempre ocupado e sempre tem algo novo para com o que ocupar-se, ele provavelmente ficará mais brilhante, alerta e mentalmente ativo por um longo tempo, talvez até em idade avançada. Ser constantemente submetido a um meio interessante e estimulante pode aumentar a longevidade do seu cão e extensão de saúde.  Nunca pense: “você não pode ensinar novos truques a um cachorro velho.” Eu prefiro, “se você não usá-lo, você vai perdê-lo.” Continue a pensar sobre esta filosofia de formação e mantenha o seu “cão-panheiro” até o fim da longa estrada. Nem você e nem ele estão velhos demais para aprender!

Por: Virgínia Wells
, 16/02/2017

Entre em contato